terça-feira, março 15, 2011

Do Festival da Canção, dos Homens da Luta e da escandaleira que anda pr'aí


Eu achei muito bem a vitória da canção "A Luta é Alegria" no Festival da Canção, e já andava há uns tempos para escrever sobre isso. Entretanto deu-me a preguiça e estive a divertir-me a ler os comentários de gente indignada pelo Facebook, que discutem a vitória desta canção como quem discute o sentido da vida. Ia escrever sobre isso, sim, mas alguém já o fez, exactamente como eu gostaria de ter feito.

"Há já muitos anos que deixei de assistir ao festival RTP da canção com o entusiasmo com que assistia na infância.Nesses tempos as canções eram realmente festivaleiras e faziam sucesso ao contrário do que acontece agora em que nem sequer conhecemos as canções vencedoras e muito menos as que não ganharam.Os festivais há muito que perderam a glória de outros tempos o que se vê bem pelos participantes, são na sua maior parte desconhecidos de quem nunca ninguém ouviu falar.E o pior nem é isso,o pior é a qualidade das canções apresentadas que andam entre o mau e o impossível de ouvir mais do que uma vez.A verdade é que o festival há já muitos anos que acontece sem quase darmos por isso. 
Mas este ano o festival voltou a marcar a actualidade, não pelo elevado nível de qualidade mas pelos vencedores: os Homens da Luta.Eu achei piada à vitória,não me sinto defraudada nem ofendida por ela e ainda achei mais piada às vozes que se levantaram em protesto.Para quem ainda nem foi à Eurovisão os Homens da Luta já conseguiram um feito que há muitos anos ninguém conseguia que foi pôr as pessoas a falar do festival.
Eu tenho debatido o tema com alguns amigos e não percebo a indignação de alguns deles.Valem-se de argumentos como o facto de eles serem humoristas e não cantores.Lamentamos mas no regulamento não pedem a carteira profissional de cantor e ainda bem, senão há anos atrás lá tinham impedido o médico Carlos Paião de participar.
Depois vêm com a conversa que a canção é fraquita. Outro argumento, na minha opinião parvo, porque já há muitos muitos anos que Portugal não apresenta uma canção de jeito ao festival.Depois vêm com o meu argumento favorito(por ser realmente tonto)que é a imagem que Portugal passa com esta participação.E aqui deixo a minha humilde opinião:Mas qual imagem? As pessoas de outros países que conhecem Portugal e têm uma ideia sobre o nosso país não a vão alterar.Senão vejamos: em 1998 Israel levou à Eurovisão uma cantora transexual e não foi por isso que ficámos a pensar que as pessoas de Israel andam todas a mudar de sexo.Em 2006 foram os metaleiros Lordi a surpreender o festival e não é por isso que imaginamos que na Finlândia as pessoas andam todas preto, maquilhadas como o gajo dos Kiss e com botas de plataforma.Isto é só para referir dois casos que por acaso até foram vencedores.Por cá,já que estão assim tão preocupados com aquilo que os outros europeus vão pensar de nós talvez fosse melhor ter impedido o José Cid de ir,não se fosse dar o caso de pensarem que em Portugal usamos todos capachinho.Alvos a abater seriam também a Dina, porque não queremos que pensem que Portugal é um país de lésbicas e claro o Armando Gama, para não pensarem que usamos todos aquele risquinho ao meio,que fique bem claro que o único herdeiro dessa moda é o Paulo Bento.Não pensem que eu adoro a canção vencedora,por acaso gostava bastante da do Henrique Feist. Mas a realidade é que quem viu o festival e se preocupou em votar escolheu os Homens da Luta.Como em muitas outras situações em que são chamados a votar os Portugueses preferem demitir-se dessa função porque acham sempre que vai haver muitas outras pessoas que o façam.Como todos pensam assim acabam por depois apanhar estas surpresas.A canção pode não ser uma pérola literária mas pelo menos é divertida e é a primeira em muitos anos que me ficou na cabeça depois de ouvir só umas duas vezes.Se isso não é ser uma canção festivaleira então não sei o que será.Mas afinal quem é que disse que as canções do festival tinham de ser todas muito sérias e profundas? Aquilo é um festival da canção,não é um seminário de apresentação de teses filosóficas.Essa regra das canções muito sérias deve estar ao lado da que obriga que as canções falem dos descobrimentos porque só se ouve no festival é coisas como: mar, sal, mundo, canela e saudade.Ah não, parece que afinal isso não é uma regra,deve ser algum trauma dos portugueses de falarem sempre das mesmas coisas.
Resumindo e concluindo (porque já me estou a alargar e isto supõe-se ser um post e não um tratado sobre o Festival)se as pessoas espalhadas por essa Europa fora ficarem a pensar que os portugueses andam com calças à boca de sino e as portuguesas vestidas de ceifeiras então esses europeus são francamente estúpidos e nem merecem que nos preocupemos com as suas opiniões,porque quem não tem inteligência para perceber que mais do que a canção os Homens da Luta levam uma encenação, quem for tão burrinho ao ponto de achar que aquilo é tudo verdade também não merece a nossa consideração.
Sobretudo o que me parece a mim é que esta súbita preocupação que agora estão todos a ter sobre a imagem que passaremos na Alemanha não é mais do que um reflexo do nosso grande complexo de inferioridade que para além de ser altamente exagerado é um peso morto que não nos deixa avançar.Portugal tem muitas coisas más,tem claro,mas também tem muitas coisas boas.Mas nós só nos fixamos nas más,os meios de comunicação só falam delas.Vamos começar a dar mais valor ao que temos,talvez assim consigamos também tornar em bom o que agora é mau."



Obrigada Dancer, por teres escrito tão bem o que eu gostaria de dizer e por me teres deixado "copiar".

PS - O que eu acho do fenómeno "Homens da Luta" fica para depois...

1 comentário:

Euphoria* disse...

olá Cati :)
trago-te um miminho, la da minha casotinha.
http://euphoriacolors.blogspot.com/2011/03/um-miminho-para-as-amigas.html
bjokas para vocês