Dias assim

Will you make me company
Em dias assim pergunto-me se vale a pena…
…tanta correria.
…tanto stress.
…tanta solidão forçada.
…tanto esforço.
…tanto trabalho.
…tanto sacrifício.
…tanto medo.
Em dias assim, a vida parece-me curta demais para me preocupar…
…com dinheiro, casa, carro, compras, limpezas, ai que não devo comer isto que engorda, ui que não posso fumar porque mata, contas, preços, crise, dores, espera lá que não posso beber porque faz mal…
Em dias assim apetece-me ficar sozinha. Sentada. Apenas a ver esta loucura de vida passar… com vontade de a mandar passear e fazer apenas aquilo que me apetece, porque me apetece e me dá prazer.
Em dias assim, quando corpo e alma estão a doer… é quando mais me apetece entregar ao prazer de nada fazer.
Porque a vida afinal é tão curta!
(e afinal esta frase não é apenas uma frase feita…)
* à espera que algo aconteça…
** foto de autor desconhecido @ Olhar Clínico
*** BOM FIM DE SEMANA!

Comentários

sonia disse…
Muitas vezes nos esquecemos do essencial linda. APROVEITAR a vida e acordar para ela!!!

Tem calma...tem calma!!!

News quando?

beijinhos
Formiguinha disse…
Não estou a gostar nada do espirito... onde é que vai o:

Não é nada
Não é nada
Não é nada...

Olha a minha mãe teve uma coisa assim parecida e afinal era um furúnculo gigante!

Bêjos
vício disse…
a vida é curta e não vais sair dela viva!
Gotinha disse…
E sim... a vida é demasiado curta para nos preocuparmos com coisas grandes, por vezes as pequeninas, aquelas que não damos nenhuma importância, são as mais saborosas!! O que seria da nossa vida sem a simplicidade de um sorriso amigo...

Beijo linda!! Estou sempre aqui... Não precisas de pedir... ;)
Shakti disse…
Infelizmente há dias assim...mas com calma e com um pouco da solidão que falas as coisas começam a tomar o seu rumo...

bj grande e bom fim de semana
nutmeg disse…
Ânimo linda! Tudo vai correr pelo melhor.
Clarice disse…
O Piano também toca aqui!!!!

Sabes Cati,este piano é o amor quando toca, quando é verdade, quando acontece, quando não tem fim e nunca se esquece... este piano é luta por aquilo que se ama, e é sempre acreditar, sempre, que não vale a pena sofrer-mos inutilmente... e que a seguir vem sempre melhor, SEMPRE!

Sempre que toca esta música... eu sinto-me a caminho... a viajar... e é "por dentro" que avanço, mesmo que quieta, no mesmo lugar...

Gosto muito de ti!
lol ai essas hormonas aos saltos :)
Vitor disse…
Podes crer …às vezes é a vontade que dá;-)

Bj*
JOY disse…
Olá Cati,

Há dias assim ! dias de alma vaga ...

Como eu te compreendo.

Fica bem
Joy

Mensagens populares deste blogue

A música do papel

1980 - O que a malta de 80 fazia...

1980 - Mais brincadeiras e coisitas da malta...