domingo, outubro 05, 2008

Dia Mundial do Professor


A classe vive dias particularmente difíceis, num país que sempre se pautou pela política do 8 ou 80. Se há alguns anos os professores eram exageradamente vistos como deuses, hoje são exageradamente vistos como uma classe de inúteis que é preciso exterminar, como se de um bando de ratos infectos se tratassem.

Não é segredo para ninguém que sou professora... mas desenganem-se aqueles que pensam que sou daquelas que entram às 9h e saem às 15.30 sem mais nada para fazer. Trabalho a recibos verdes, mais de 30 horas por semana (fora trabalho extra-aulas), pago os meus transportes, impostos e alimentação.

Os meus colegas que são contratados, vinculados ou efectivos, embora pertençam a uma "classe" superior à minha - porque têm um vínculo contratual que os protege e ganham melhor - não estão melhor do que eu. Na verdade nunca os vi tão atolados em papelada burocrática inútil, obrigados a fazer e preencher papéis avaliativos redigidos às três pancadas, num constante clima de medo e repressão, algo parecido com o que este país vivia na era pré-25 de Abril.

Andam deprimidos, tristes, sem tempo para preparar as suas aulas, chegam a casa tarde e más horas e ainda têm trabalho até às tantas da madrugada. Vão ser alvo de um sistema de avaliação que se baseia em toneladas de legislação burocrática, em vez de serem avaliados de maneira clara e transparente, como qualquer trabalhador deve ser avaliado. Isto sem falar da perseguição de que têm sido alvo por parte dos pais das pobres criancinhas que se portam mal e vão à escola munidos de navalhas, com a mesma naturalidade com que se levassem a lancheira!!!

É de professores burocráticos e parafernália pseudo-tecnológica que este país precisa para uma educação de excelência???

Quadros interactivos, programa E-Escolas, Magalhães... E aquelas escolas como umas que eu conheço (e até onde trabalho...) que têm salas com o chão podre, o tecto a cair e não têm sequer um rádio que possamos usar para trabalhar? E não estou a falar de escolinhas de 10 alunos...

Neste dia mundial do Professor, pensemos na classe com o respeito que merece. Sim, como todas as classes, tem gente muito competente e pouco competente, mas eu sei que a grande maioria anda nisto por amor à profissão. Só pode!!!

14 comentários:

Latrodectus mactans disse...

Realmente os professores que em tempos eram considerados um pilar de conhecimento e respeito, tornaram-se uma mula de trabalho..ainda por cima incerto. Haja fé em melhores dias, força =)

PDuarte disse...

fui estudante.
sou pai de um estudante.
sempre estive, estou e estarei solidario com os bons professores.
sempre estarei contra os maus, porque os há.
há e misturam-se com os bons.
mas há maus professores, há maus bombeiros,há maus policias, há maus pedreiros...há tantos maus.
sou a favor da avaliação dos professores.
eu também sou avaliado.
agora acho anormal é que conte para a avaliação o parecer do aluno, dos pais e a nota que se dá a um aluno. nem que estes factores contem só umas décimas.sou contra.
tenho dito.

*FreeStyle* disse...

E vivam os professores ( que têm respeito pelos alunos ).



Beijo


*FreeStyle*

Anónimo disse...

É com enorme gosto q leio este teu post Cati, continua a escrever o q te vai na alma. ;)

1 big kiss
Jarvas ao teu serviço...

Professorinha disse...

A minha escola tem um rádio para todos os profes... já para não falar no facto de ter uma tv (que é a da sala dos professores) e um dvd e um video...

Lindo...

Carol disse...

Concordo contigo e com o pduarte.

Ainda bem que o novo look está aprovado! ;)

.::rOcK_aNgEll::. disse...

Apenas digo que apoio tudo a 100 % o que disseste!.

Já terminei a minha licenciatura, mas estou no mestrado de ensino de artes visuais precisamente para dar aulas aos alunos de artes!, e desagradame/assustame ver komo o país trata os noxos professores! que devem ser tão bem respeitados komo kualker outra profissao!.

Contesto...
Condeno...
a politika!
o nosso governo!

*****

Vitor disse...

Cati, nesta espécie de país beira-mar plantado, somos (des) governados por uma corja de incompetentes, que mais não fazem, do que tratar da vidinha deles, vivendo à grande e à Francesa. E entre viagens com grandes festins à mistura, a que chamam almoços de “trabalho”arrotam leis que só a eles interessa, e à camarilha que germina no seu seio. É a jabardeira de país que temos! Mas professores levantem a voz, e façam-se ouvir a esta cambada de acéfalos que nos esmifram em impostos, para gáudio do bem-estar deles! …Estou em completa sintonia convosco!

Obs.Amiga, como o que de bom se escreve deve ser divulgado, e passe a publicidade, dê um saltinho ao meu blogue e delicie-se com um magnifico trabalho de jornalismo, que o nosso simpático RedJan executou, num pequeno tributo a uma amiga minha…e que fez o favor de colar no meu blogue…com certeza já ouviu falar no “jornada”, jornal onde o Jan Jan, semanalmente debita por caneta, escrita da boa…faça a visita e depois logo me diz!

Beijinho.

Vício disse...

sem voto na materia decido não comentar o assunto!

mas tenho a dizer-te que eu não sou patrão do respeito e por isso não o posso promover...

Blossom disse...

oh Cati, da experiência que tenho com os "colegas", estes, e apesar de terem de dar mais o litro agora do que anteriormente, continuam encostados à sombra da bananeira, com uma merdice de horas por semana para leccionar, limitam-se a fotocopiar os exercícios do livro, e os testes, não fazem o PCT - plano curricular de turma, para quem não sabe - ou copiam uns pelos outros, não fazem planificações, não sabem trabalhar com um computador, e no fim, e se forem amigos dos amigos, levam com um "Excelente" como nota final (mas têm de ser amigos dos amigos)e têm um ordenado invejável. Ao passo que os "contratados", que estão deslocados de casa a km e km de distância, dão o litro, fazem o trabalho deles e o dos outros, e se correr bem, levam com um "bom" porque só 5% pode levar excelente. O Esquilo, com 14 horas, tem mto mais trabalho que as colegas (repara na distinção que faço entre "colegas" = os que estão no quadro, e "contratados" - uma raça inferior e tratada pelos primeiros desta forma) dos quadros, até porque lhe deram uma direcção de turma com 4 (imagina, quando a lei só permite 1 por turma) miúdos com necessidades educativas especiais. (porque será que esta turma lhe saiu na rifa???). Depois temos os sindicatos e as manifs...quantos contratados vão às manifs? Poucos. E porquê? Porque as reivindicações dos sindicatos são para os "colegas" e não para os reles "contratados". não se vê nunca nenhum deles a defender estes tristes (onde tu estarias incluida se estivesses colocada, mas no fundo, tb és deles).

Foda-se para esta política da deseducação que temos...apre!

Para mim, mereces todo ou mais respeito que os "colegas" que por aí andam, porque és uma lutadora! Bjs

Francis disse...

Isso é concorrencia desleal pá...
e o dia da República ?

Joseph disse...

Cati
Olá

Desta vez não postei nada sobre o Dia Mundial do Professor, no meu blog, mas enviei um mail para os professores que conheço, entre eles tu e a Sofia.

Sabes que, desde sempre, estou a vosso favor nesta causa, por várias razões.

Bom post, o teu; como sempre.

Beijoka amiga;-)*
(Boa sorte para logo...para o nosso BENFICA).

Carlos Lopes disse...

Só pode! É como dizes, cati: só pode.

Framboesa disse...

Ora bem...fui aluna e tive professores muito bons, bonzitos, maus e péssimos...tal cm tu dizes:há em tds as profissões!
sempre houve e sempre haverá...
A mim mete-me é uma certa confusão as exigências que os pais fazem hoje em dia aos professores...São os pais q devem educar os filhos, e não os professores...è aos pais que cumpre orientar as crianças/adolescentes para a vida...mas parece-me que cada vez mais os pais estão a borrifar-se nesse seu papel e a empurrarem para os professores, que depois têm q gramar com miudos mimados, mal educados e em certos casos até perigosos...ah pois é!
:-/