domingo, março 02, 2008

Cabos, fios... vida!

vias

Hoje fiz algo que nunca tinha feito antes: apliquei conectores RJ-45 num cabo UTP... Fazendo um cabo cruzado T568A e B! Confuso? Não... foi só uma tentativa pomposa de dizer que fiz um cabo que permite ligar um computador a um outro computador... e depois ligar esses computadores a um router... e depois à Internet... e por aí fora! (ok, isto não está muito bem explicado... mas eu estou a aprender!)

Embora possa não parecer, não foi nada de especial. Obviamente que os entendidos em informática que possam eventualmente ter descido do mundo dos geeks para perder alguns instantes a ler este post vão rir-se e pensar "coitadinha!!! não pesca nada!", mas isso hoje não me importa. Em oito horas de aula foi mesmo a parte mais interessante, construir um cabo, um aparentemente insignificante cabo, mas que é tão sensível e tão essencial (mesmo que falemos em wireless).

Não pude deixar de pensar que, na vida, às vezes as coisas pequenas têm uma grande importância. Vejamos o caso dos cabos. Sem eles, provavelmente não estariam a ler este post. Nem conseguiriam estar a falar no MSN, sacar música, pesquisar ou navegar, pura e simplesmente. Viver toda uma outra vida, que faz parte da nossa, é certo, mas que é outra, a nossa vida-net, a nossa vida-online, sem a qual muitos de nós já não passa. Não estou a falar de web addicteds... estou a falar de uma parte muito substancial da humanidade que já não passa sem computador, sem Internet e sem os infinitos recursos que eles nos oferecem.

Importante mesmo é nunca cortar os cabos com a vida sem computador, sem Internet, sem tecnologia. Porque quem faz os aparelhos, quem desenha os programas informáticos, quem constrói as redes, as bases de dados, os sites, (ainda!) são PESSOAS.

São as pessoas, com vida para além da net, para além do trabalho, para além dos problemas e chatices. Que amam, que choram, que riem, que sentem. Que vêem a vida passar, demasiado depressa. Elas e todas as outras.

E quem faz os cabos, os fios... também são pessoas! E hoje, eu fui uma delas!

Foto gentilmente "gamada" do blog BOCADOS DE TUDO, bocadinhos fotográficos de muito bom gosto... espreitem! (desculpa Red, eu sei que não pedi e que não tenho a mestria do Carlos, mas teve de ser... hihi!)

14 comentários:

redjan disse...

Txxxxxxxxxxxx Cati ! U a good friend !!!

E .. belo texto !!

Carlos Lopes disse...

Não tens a mestria do Carlos?! Ainda bem para ti. Aliás, vê-se bem que escreves melhor do que esse "tipo";-)

Rafeiro Perfumado disse...

Complicado por vezes é conseguir separar o real do virtual. Espero nunca começar a cheirar postes ou olhar apetitosamente para jantes de automóveis!

Beijoca!

Rosarinho disse...

Ena! Curtes mesmo cabos!

Tiago R. Cardoso disse...

Interessante começas com cabos de computador e unes com umas reflexões de vida, muito bem.

Blossom disse...

tanto cabo e tanto fio...porra! fios, só para fazer tricot ou renda, eheheh

Beijos crazy Cati hasta luego :)

Cati disse...

Red: you're welcome! A foto estava mesmo a pedi-las!... e obrigada!

Carlos: Isso nem a brincar se diz... escrever melhor que esse tipo!?!? Impossível! Ainda assim, um "obrigada" sentido e corado...

Cati disse...

Rafeiro: ahahah! Realmente não dava muito jeito! Mas tu és um bom rafeiro virtual, o que me leva a pensar que és um bom homem real (e isto implica não olhar apetitosamente para postes e jantes!) BEIJO

Rosarinho: Pois curto! Beijoca!

Blossom: Ora aí estão ofícios nos quais sou um autêntico zero à esquerda - tricot, malha e outros lavores afins... para grande desgosto materno! Hasta luego, kisses!

Tiago: Tudo na vida se pode relativizar... acho que não está assim tão bem, mas um elogio vindo da tua parte faz-me sentir muito bem, obrigada! Kiss*

Vício disse...

tens razão! os cabos são mesmo importantes! até uma enxada não tinha razão de existir sem um...

Cati disse...

Vício: Essa faz-me lembrar a velha máxima, "mais vale uma mão inchada que uma enxada na mão"! E uma enxada sem cabo... muito pior! Cavar com as mãos, não, dasse!

quintarantino disse...

Olha, a nossa menina agora também se dedica aos cabos?
Se for como na escrita, não vai haver cabo que resista!
Não vai não ...

SILÊNCIO CULPADO disse...

Cati
Compreendo este enlevo dos cabos que nos faz acreditar que somos capazes de transformar papões de complexidade em coisas simples e úteis.

E assim desafiamos a nossa confinação ao receio de não ser capaz.

Os cabos com a vida são bem mais complicados. Por algum motivo se diz: "foi o cabo dos trabalhos!"

Beijinhos

AJO disse...

Ando num corre corre... vamos lá ver se deste lado abranda um dia destes. Passei para ver como as coisas estavam a correr por aqui e pelos vistos bem.
Volto em breve.
BJS e boa semana

Cati disse...

Quint: aii... assim eu coro! Lá porque eu te elogiei a escrita, não tens de fazer o mesmo por mim!
Ainda assim... obrigada! Kiss*

Lídia: Há coisas que são mesmo o cabo dos trabalhos... viver é uma delas, mas compensam todos os cabos das tormentas que temos de dobrar... ao fim ao cabo, viver é bom!

Ajo: corre, corre, mas não te canses! Beijo!