quinta-feira, dezembro 06, 2007

E se...

...um estranho lhe oferecesse flores?
Não... nada disso!


E se um fedelho de 13 anos vos mandasse para "o alho"?

O que é que vocês faziam?

Isso aconteceu-me 4ª feira... mas agora não tenho tempo de contar.

Mais logo passo aqui e conto-vos a minha reacção.

Por enquanto gostava de saber o que é que vocês faziam...



...principalmente se fossem professores dele.



Big kiss...

29 comentários:

Sofia disse...

Ponha os dedos nos ouvidos e gritava: AH lá lá lá lá LÁÁÁÁÁÁÁÁÁ!!!! ;))

Filipa disse...

Bem, para não perder a cabeça, teria de contar até 10 e repetir muitas vezes "agora serenidade". :)

Vício disse...

perguntava-lhe se ele achava que era capaz de repetir aquilo com menos dentes!

Rui Branco disse...

Mandaria fazer um trabalho sobre a origem de tal palavra... Teria que o dicertar perante a turma e seria obviamente avaliado...

htsousa disse...

Na hora, perguntava se ele queria chegar a ter mudança de voz, ou se resolvíamos já o problema e voltávamos ao tempo dos castrati!

Depois, teria de o ridicularizar em frente à turma e encomendar um estudo sobre a origem da palavra e seus significados e a relação entre a burrice dele e a vida sexual das abelhas assassinas!

Copo_Meio_Cheio disse...

Cati...
A minha primeira reacção seria, evidentemente, desatar a chorar!
:D
Passado esse momento diria algo como:
- Não preciso, obrigado, dado ele vir ter comigo todas as noites...

Agora muito a sério! Sei que a reacção não poderia ser nenhuma das acima mencionadas, dado configurarem perca de autoridade e de respeito, respectivamente.

Sinceramente não tenho como te dar uma resposta coerente.
Acho que só me apeteceria espetar-lhe 5 razões na fronha...

Francis disse...

fazia-lhe uma espera com um lenço na cara e esmurrava-o.

AJO disse...

Há tanto tempo que tenho estado afastada da net e dos blogs, desculpa a falta de visita. Mas acho que já estou de regresso.
Quanto ao post estou para saber a passagem. Eu sei lá o que fazia... quando li e vi a imagem aqui deu-me para rir.
Fica à espera ... BJS

rps disse...

Eu gostaria de ouvir as duas partes, antes de emitir um juízo.

darkman disse...

preferia as flores...

BeHappy disse...

Uuii! =/ Sabes que eu ando a fazer um trabalho de campo sobre a indisciplina na sala de aula! Então na turma em que vou fazer as observações ouço com cada coisa! E a professora, claro está, tem que engolir em seco. O máximo que pode fazer é marcar falta, porque se responder à altura já tem a família inteira do aluno à porta!!

É o lado mau desta profissão...

Beijinho

(Ps: gostei da reacção da Sofia!! he he he!)

Tia Cremilde disse...

ui... forte chapada... mas não pode pois não... professor sofre!

Carlos Lopes disse...

Partir-lhe o dedo, talvez;-)

Dou aulas há quase 18 anos e nunca vivi nada do género. Felizmente...

Petrusednem disse...

às tantas fazia o mesmo que tu fizeste!!!

A primeira vontade e reacção seria ás tantas espetar-lhe um biqueiro no cú ... ou então fazer de conta que não ouvi e à 1ª oportunidade pendurá-lo pelas orelhas em fente aos outros alunos!!!
sei lá ... não deve ser fácil!
Tou curioso para saber a tua reacção, das duas uma, ou tens a vingança já planeada ou então já te vingaste, de uma ou de "outra" forma ... eu fazia isso acho eu!

Professorinha disse...

Beeem... não sei... nunca me mandaram para o "alho"... Rua, participação disciplinar... enviá-lo ao COnselhor Executivo...

Não te sei dizer...

Beijos

Joseph disse...

Cati,
Olá

Já sabes que eu sou pão pão queijo queijo, por isso, (quero lá saber se é proibido ou não), ao me mandar lá para as cebolas, a resposta era igual à que um professor me deu a mim certo dia: Uma par de estalos e depois logo se via.

Os professores têm que se unir e exigir que os paizinhos dêm educação ao "verbos de encher" em que se tornaram "certos filhos".

Então os alunos batem nos professores, ofendem-nos de toda a maneira e feitio, e os professores têm que ficar calados?

Isto não pode ser.
Isto não é democracia.
Isto tem que acabar.
A Ministra que vá para o olho da rua, onde já devia estar há muito tempo.

Não sou professor, mas já fui estudante e o respeitinho era muito bonito.

Não era este comentário que estarias à espera, mas desta vez teve que ser.

Beijocas** beirãs.

JOY disse...

Olá Cati

Dava-lhe com os cinco mandamentos na tromba e depois a mãma que viesse falar comigo.

JOY

Shootingstar disse...

Esta é fácil, já me aconteceu e na altura saiu-me isto, muito calmamente e em voz firme (nem sei como): mas com certeza! É claro que vou, mas para isso terá de me indicar o caminho, visto que já é do seu vasto conhecimento. (o dito-cujo ficou de boca aberta a olhar e continuei:) ah, não sabe? Bem, então agarra nesse objecto rectangular que tem aí a maçaneta e quando o vir do lado de lá, pode começar a procurar o caminho para me ensinar na próxima aula!

Tugafixe disse...

Pois... complicado...hoje. Porque no nosso tempo a coisa ainda piava fino, não muito mas piava. Mas isto fez-me lembrar uma vez um colega meu que tirou as calças em frente a uma professora estagiária. Ele tinha aí 15 ou 16 anos.
A prof ficou sem palavras, mandou-o para a rua e foi a risada geral! Até ela se riu depois.
Foi o mais ordinário que assisti numa sala de aula.

E quanto ao puto, punha-o a escrever no quadro durante uma mês: "não se dizem asneiras, não se dizem asneiras, não se dizem asneiras..."

Beijinhos

redjan disse...

Mas ... ainda se espantam ? E onde está toda a corja de reinvidicadores sociais quando a classe dos professores é tratada abaixo de cão há tanto tempo ?

Mónica disse...

Olá Cati,
O Sapo hoje não me deixa responder aos comentários por isso aqui está a resposta ao teu comentário no meu violino:
Gostei da tua frase, porque as palavras têm mesmo magia.
Nenhuma intrepretação tem de ser igual à minha. A magia também está nos olhos de quem lê, e tu tens toda a razão no que dizes, ainda que este violino não tenha outro nome.
Eu não levei a mal por isso, nem levo. Muito pelo contrário, acho engraçado que façamos a nossa própria leitura de cada conjunto de palavras. Não será por esse motivo que elas são tão interessantes?
[;)]
Beijinho
............
Agora, quanto ao "alho" era bem capaz de nem lhe dizer absolutamente nada e olhar assim com ar de quem diz "vou-te fazer a folha", pegar em cartolinas e pôr o resto da turma a fazer um grande cartaz a dizer assim: "O fulaninho nº X, da turma Y não têm uma pinga de civísmo. Ainda não aprendeu a respeitar as pessoas. Utiliza linguagem imprópria e provavelmente nem saberá o seu significado. Esperemos que aprenda rapidamente a respeitar a professora e os colegas. Trabalho realizado por: toda a turma" e afixava num local bem visivel durante o tempo necessário.
É claro que a vontade era outra, mas Cati, não estando a desculpar atitudes, tu sabes que se tem que utilizar métodos diferentes daqueles a que estes miúdos estão habituados em casa.
Vou contar-te uma que se passou quando eu andava no 10º ano:
Tinha um colega tão insurrecto que chegou a dar pontapés a uma professora de Biologia. Os insultos eram constantes, daí até o Conselho executivo fazer algo... levou muito tempo.
No final do ano ele precisava da nota de Biologia para passar... Sabes o que a professora fez? Chamou-o na sala de aula (à nossa frente)e disse-lhe: Apesar do que tu me fizeste ao longo deste ano, eu dou-te a minha nota!
Ficamos todos de boca aberta! Acho que nunca vi o meu colega tão envergonhado, mas tão envergonhado que até chorou ali na frente dela.
E ela continuou: Olha, eu acredito que tu hás-de ser uma pessoa correcta. Boa sorte para a tua vida.
Eu nem imagino o que a senhora (que já tinha uma certa idade) estava a sentir, coitada.
No ano seguinte ela voltou a ser nossa prof. de Biologia e ele foi um dos melhores alunos desse ano.
Nunca mais desprespeitou nenhum professor.
Não desanimes, nem tenhas medo de educar, mas não admitas que te faltem ao respeito.
Beijinho

Tiago R Cardoso disse...

Como era professor, rua com ele.

quintarantino disse...

Na sala de aula, mostrava-lhe a porta de saída.
Lá fora... era capaz de fazer de conta... afinal, o gajo tem 13 anos e só pode ser burro.
Dei aulas cinco anos e nunca passei por isso. Mas também devo confessar que eu alguns dos alunos eram mais velhos que o professor.

Catarina, disse...

Ai se nao fosse professora dele sabia bem o que fazia, era logo um estalo. Agora como professora se calhar tinha de seguir as ordens dos superiores, explicar que isso nao se chama, mandar pa rua... dar rebuçados LOL

um beijinho *

=)
Obrigada

Lord of Erewhon disse...

Tu não fazias nada. Sorrias, ou isso. Mas uma instituição chamada Escola faria: 10 dias em casa!

Luazinha disse...

Xi...situação lixada!
Mas n sei não...talvez perdesse mesmo a compostura!
Ou então... Talvez... não sei!
OH PÁ FAZIA-LHE UMA ESPERA!!
Ou entao pagava a um puto da idade dele pro fazer.. (assim dá menos cana)!
Kiss

Didas disse...

Por acaso nos 4 anos que dei aulas nunca me aconteceu tal. Mas aonteceu-me um aluno estar a dormir e justificar-se dizendo que tinha estado toda a noite a fazer sexo. Eu perguntei-lhe se tinha mudado de mão muitas vezes. Mas depois arrependi-me logo.

Paulinha disse...

Os adultos costumam achar imensa piada quando as crianças são pequeninas e dizem asneiras, fica tão fofinho a dizer filho da p** e etc.
Quando eles crescem e dizem as asneiras com sentido, sabem o seu significado, já não é giro, são mal-educados e agora?! Faltou a educação na altura certa.

Na situação que expões, eu provavelmente, explicava-lhe que essas palavras não se dizem e a seguir mandava-o para a rua.

O Livreiro disse...

Parti-a-o à cahapada e depois logo se via o que acontecia.

Beijo